Associação dos Fiscais Fazendários de Ribeirão Preto/SP

Fisco não deve aceitar valor de face de precatório

Uma nova decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) inibe o uso de precatórios para pagamento de dívidas tributárias em ações judiciais. Em um julgamento recente, a 2ª Turma entendeu que os precatórios nomeados para penhora em execuções fiscais, e depois levados a leilão, devem ser considerados pelo preço de mercado, definido em avaliação, e não pelo valor de face. Na prática, o resultado elimina as vantagens de comprar esses papéis com deságio para depois usá-los como garantia e pagamento nas execuções fiscais.

Leia mais: http://www.sinfisco.com.br/component/content/article/1-gerais/1071-fisco-nao-deve-aceitar-valor-de-face-de-precatorio